quarta-feira, 10 de novembro de 2004

The Bravery of Being Out of Range

Faz uns dois dias que o exército americano está detonando Fallujah, no Iraque. Segundo a Folha de S. Paulo, hoje a "infantaria McDonald´s" (gosto dessa expressão pq ajuda a me lembrar sempre que nós financiamos tudo isso, somos co-responsáveis de alguma maneira) atingiu o centro da cidade. De brinde, vem uma foto de um terrorista com a cabeça estourada caído no meio de uma rua. Deu até pra identificar os pedaços de cérebro junto com os pedregulhos do asfalto. Lógico que não vou colocar aqui.. até pq meu servidor de imagens ainda está inoperante.. hehe..
Até aí tudo bem.. Pode-se dizer: guerra é guerra, algúem vai ter que ser abatido. Essa é a regra. Agora o que normalmente não vem estampado nas manchetes é o que acontece com os civis (pelo menos até algum tempo atrás, qndo a Convenção de Genebra ainda era respeitada entre os países, civil não era considerado combatente, nem alvo). Lendo nas entrelinhas da reportagem (não dessa, mas de uma outra anterior que eu li), descobre-se que como conseqüencia da ofensiva, cerca de 300 mil civis foram obrigados a escafeder-se da cidade de um dia para o outro.
Estou citando isso pq hoje fiquei pensando enquanto estava lendo o jornal e pondo-me na situação de um civil iraquiano. Depois me imaginei caminhando por uma daquelas estradas áridas e dando de encontro com todo esse povo.. Fiquei pensando como eles iriam reagir à minha presença, como iriam olhar pra minha cara.. O que eles iriam dizer?.. e depois.. O que eu posso dizer pra mim mesmo?..
Quando refleti sobre isso me deu vontade de colocar na vitrola essa música do Roger Waters, que retrata de uma forma bem perspicaz o quanto nós cidadãos ocidentais comuns temos de culpa nisso tudo:



The Bravery of Being Out of Range
You have a natural tendency
To squeeze off a shot
You've good fun at parties
You wear the right masks
You're old but you still
Like a laugh in the locker room
You can't abide change
You're at home on the range
You opened your suitcase
Behind the old workings
To show off the magnum
You deafened the canyon
A comfort a friend
Only upstaged in the end
By the Uzi machine gun
Does the recoil remind you?
Remind you of sex
Old man what the hell you gonna kill next?
Old timer who you gonna kill next?
I looked over Jordan and what did I see
Saw a U.S. Marine in a pile of debris
I swam in your pools
And lay under your palm trees
I looked in the eyes of the Indian
Who lay on the Federal Building steps
And through the range finder over the hill
I saw the frontline boys popping their pills
Sick of the mess they find
On their desert stage
And the bravery of being out of range
Yeah the question is vexed
Old man what the hell you gonna kill next?
Old timer who you gonna kill next?
Hey bartender over here!
Two more shots
And two more beers
Sir turn up the TV sound
The war has started on the ground
Just love those laser guided bombs
They're really great
For righting wrongs
You hit the target
And win the game
From bars 3.000 miles away, 3.000 miles away!
We play the game
With the bravery of being out of range
We zap and maim
With the bravery of being out of range
We strafe the train
With the bravery of being out of range
We gain terrain
With the bravery of being out of range
We play the game
With the bravery of being out of range
------------------------------------------------
A Bravura de Se Estar Fora de Alcance


Você tem uma tendência natural
A curtir um drink
Você se diverte nas festas
Você usa as máscaras certas
Você está velho mas ainda
Gosta de uma risada no vestiário
Você não agüenta mudanças
Você está em casa no campo
Você abriu sua mala
Atrás da velha mina
Para mostrar a magnum
Você ensurdeceu o canion
Um conforto, um amigo
Apenas derrotado no fim
Pela metralhadora Uzi
O recuo não te lembra?
Te lembra de sexo
Velho, o que diabos você vai matar agora?
Velha guarda, quem você vai matar agora?
Olhei sobre o Jordão e o que eu vi
Vi um fuzileiro americano em uma pilha de destroços
Nadei nas suas piscinas
E deitei-me sob suas palmeiras
Olhei nos olhos do índio
Que se deitava nos degraus do Federal Building
E através da mira eletrônica por sobre a colina
Vi os garotos na linha de frente tomando suas pílulas
Enjoados da bagunça que encontram
No seu palco do deserto
E a bravura de se estar fora de alcance
É, a questão é controvertida
Velho, o que diabos você vai matar agora?
Velha guarda, quem você vai matar agora?
Ei barman, aqui!
Mais dois drinks
E mais duas cervejas
Senhor aumente o som da TV
A guerra começou no solo
Adoro estas bombas guiadas a laser
São realmente demais
Para se consertar o errado
Você atinge o alvo
E ganha o jogo
De bares a 3.000 milhas de distância, 3.000 milhas de distância!
Jogamos o jogo
Com a bravura de se estar fora de alcance
Zapeamos e aleijamos
Com a bravura de se estar fora de alcance
Bombardeamos o trem
Com a bravura de se estar fora de alcance
Ganhamos terreno
Com a bravura de se estar fora de alcance
Jogamos o jogo
Com a bravura de se estar fora de alcance
(Roger Waters - "The Bravery of Being Out of Range")


Com certeza alguém vai dizer que eu sou um grande hipócrita. Eu retruco: vamos fazer um turismo rápido em Fallujah esse final-de-semana? Quem topa?

Um comentário:

Carrie Bradshaw Tupiniquim da Silva disse...

Sabe, deve ser muito barra pesada a vida deles e pensar que agora a guerra não terá trégua, dá medo e tristeza por essas pessoas que já sofreram tanto na mão de um ditador (mas era melhor que viver na mão do Bush) e agora vivem entre explosões, doenças, fome, miséria e morte... um horror realmente... se eu fosse menos covarde, seria da cruz vermelha, mas não sou tudo isso rsss