quarta-feira, 2 de fevereiro de 2005

está chegando o "dia D", Lula...

Desde que comecei a votar, sempre votei no Lula pra presidente (ou seja, duas eleições: 1998-2002). Aliás, de todas as eleições que participei, 90% dos meus votos foram para o PT.. por uma infinidade de razões que eu não tô saco pra dissertar agora.. hehehe.
Bom, tb sempre tive um pé atrás com a política econômica do Palocci. Contudo, tenho que admitir que ela está dando certo. Está custando muito pra todos nós (nosso dinheiro basicamente está indo pra pagar juros da dívida e manter o Estado funcionando no mico), estamos pagando uma carga tributária elevadíssima e sem nenhum retorno em investimentos estruturais e sociais no mesmo nível, mas pelo menos não está havendo disperdício de dinheiro público. Acho que esse é um dos grandes méritos do governo Lula, a corrupção está diminuindo muito simplesmente pq não tem o q roubar. Como há um controle rígido de gastos (até excessivo), os ASPONES da vida corruptos não tem onde enfiar a mão.
Então, enrolei tudo isso pra dizer que, devido a essa política feita nesses dois anos de governo, o Brasil está numa situação econômica em que, se quiser, pode abrir mão da ajuda financeira do FMI sem causar nenhuma muvuca no tão mistificado e enigmático "mercado" (financeiro internacional). O acordo do Brasil com o dito fundo vence em março desse ano. O governo tem duas opções: renovar o acordo e continuar emprestando dinheiro e pagando juros pra esse povo (pq esses acordos não são de graça, são empréstimos q tem q ser pagos), e seguindo esse modelo financeiro suicida (e sem saída) que eles pregam; ou não renovar o acordo e começar a andar com as próprias pernas, e ver que isso não é difícil.
Pra mim, esse é o ponto crucial do governo Lula. Dependendo da posição que eles tomarem eles entrarão para história como o governo de esquerda que conseguiu se livrar da política financeira monetarista do chamado "consenso de washington" (uma praga ideológica que surgiu no começo doa anos 90 e que pregava um neo-liberalismo econômico radical e globalizado) sem causar uma crise política e econômica, ou como o governo conservador e centrista que "ajeitou" e deu uma azeitada (pra melhor, claro; com algumas pequenas e parcas idéias progressistas) na política econômica do nosso caríssimo (isso foi irônico) FHC.
A questão é se eles optarem pela segunda via (a conservadora). Surgindo algo melhor e novo no cenário político, com certeza, eles não terão o meu voto em 2006... torço pra que o Lula lembre da sua história e das pessoas e movimentos que o apoiram na hora que estiver sentado com os "comissários do norte" decidindo o rumo do país daqui a três meses.

Um comentário:

Carrie Bradshaw Tupiniquim da Silva disse...

Bem, não entendo muito de política, mas estava pensando no dólar abaixando de todo o jeito sem parar e pensei... "assim vai ficar barato pra eu ir pra Inglaterra, mas aí o Euro vai dominar" rss
meu irmão mesmo estava falando que muitos paises como a Russia já estão fazendo reserva de dinheiro em euro e naõ em dólar (não tenho certeza se é russia rss)
Falando sério, fiquei pensando q os americanos não estão vendo que o Bush quebrou a economia deles, o país vai pro buraco! Espero q não nos leve - no começo - com eles...
beijo!