quarta-feira, 29 de novembro de 2006

para os que tiram São Paulo para dançar..

Na última terça-feira (21), o presidente da Comissão de Transportes da Câmara Municipal de São Paulo, vereador Adilson Amadeu (PTB), denunciou haver indícios de superfaturamento em alguns itens do custo do transporte público de São Paulo. A planilha dos gastos para 2006, apresentada pelo prefeito Gilberto Kassab (PFL-SP) aos vereadores para defender esse aumento, é criticada por distorcer dados importantes.

Por exemplo, o gasto total com combustível dos ônibus foi 30% maior em 2006 com relação a 2005. O custo subiu de R$ 44 milhões no ano passado para R$ 57 milhões neste ano. Entretanto, o preço do litro do óleo diesel, utilizado nos ônibus, subiu apenas 13% neste mesmo intervalo, o que daria um custo bem menor do que o gasto apresentado pela prefeitura.

Não há justificativa, de acordo com o vereador Antônio Donato, para a diferença de valores. “Só posso supor que há uma distorção”, diz ele. Para Donato, existem “interesses escusos” por trás desse suposto superfaturamento.

A depreciação dos veículos utilizados para o transporte, que acumulou R$ 41 milhões neste ano, é outro valor com suspeita de ter sido superfaturado. O custo é 51% maior do que o medido em 2005. Já a variação real do preço de cada ônibus cresceu 19%, bem abaixo da depreciação total. Comparando os dados, Donato indaga: “Uma alta depreciação indica que a renovação [da frota de ônibus] foi alta? Quantos veículos ingressaram no sistema de transporte público para que a variação de custo seja tão alta?”.

“Esses dados, na verdade, antecipam o investimento que a prefeitura quer fazer em 2007, para a renovação de 3 mil ônibus”, diz o vereador Donato, que explica que a conta será paga pelos passageiros. Quem sairá lucrando são as empresas concessionárias, cuja obrigação contratual de renovar a frota será “subsidiada” com o aumento das passagens. “O prefeito Gilberto Kassab também quer garantir sua própria reeleição em 2008”, afirma Donato.
por Rafael Sampaio
Obs: o preço da passagem de ônibus, metrô, e trens em São Paulo será reajustado em 15% no próximo dia 30 (amanhã). Frise-se, a inflação do período foi de 7%.
Pois é, e você lá no busão, as 5 da tarde, tendo que se manter em pé enquanto é espremido por uma massa de gente cansada e suada, que vai e vem com as freadas e aceleradas bruscas de um motorista estressado e mal pago (sim, eu defendo eles), que põe em risco a integridade física de passageiros e pedestres.
Se você mora em São Paulo e ainda não experimentou isso, é um privilegiado e um total desconectado da realidade. E se você já experimentou, sinta a mesma raiva e desânimo que eu e bote a boca no trombone, ou simplesmente passe na frente daquele belíssimo prédio na beirada do Viaduto da Chá e solte um alto e potente urro do palavrão mais grotesco que você conhece.

5 comentários:

Carol disse...

Não moro em SP e nas poucas vezes q aí estive, andei de metrô.
Apenas pra constar, a situação é a mesma em algumas linhas aqui em Curitiba (e olha que em transporte público, somos "modelo").
Qto custa a passagem de ônibus em SP? Aqui custa R$1,90 e aos domingos R$ 1,00.

Alexandre disse...

R$2,00 reais Carol.. :/

Alexandre disse...

bom, agora com esse reajuste vai pra R$2,30...(!!!)

Carol disse...

:-O

Cristina disse...

Esse desrespeito é generalizado, mas como SP é maior-cidade-do-país, tudo fica mais crítico. Digo, os problemas que existem em qquer lugar do país são potencializados na terra da garoa. (se fosse só garoa, né? rs)
Eu gosto mesmo é qdo o proletariado se junta pra protestar :p
beijo!