domingo, 10 de dezembro de 2006

um dia na lavanderia

Esses dias tive a minha primeira experiência em uma lavanderia profissional. Com a mãe distante (lá no planalto central) , e com a máquina de lavar gratuita mais próxima a 90 quilometros de distância, eu tive que mudar de estratégia, e gastar dinheiro.
Uma das agruras da vida de solteiro masculina preguiçosa adulta é essa. Eu já comentei em outro espaço que lavar roupas é algo muito chato, apesar de ter ouvido de amigos que é uma atividade terapêutica (difícil). Os argumentos não me convenceram muito, apesar que parte do material eu lavei no tanquinho do apê e realmente traz uma vibração espiritual legal. (?)
Enfim, pesquisei e encontrei um estabelecimento legal no centro de SP. Eu achei que fosse ser um porre, mas, por incrível que pareça, eu achei gostoso. Aquele cheiro de amaciante permeando o ambiente, um silêncio mortal, aquelas janelinhas com roupas girando, e um ruído constante e grave das máquinas de lavar, como se fosse um mantra. Lembrei de um episódio da série de TV Seinfeld (uma das minhas favoritas), em que o enredo se passa todo dentro de uma lavanderia. Apesar de ser um ambiente totalmente "blasè", eu fiquei como uma sensação parecida como se estivesse num monastério (?!).
É coisa de norte-americano, mas têm coisas de norte-americanos que são geniais. Moedinhas, fichinhas, pegue sua roupa e faça você mesmo. Você ganha um saquinho de sabão e amaciante, e se vira. Tem uma "salinha de estar" (umas cadeiras) pra você esperar, com TV (!). Primeiro lava, depois enxagua, e depois seca. Essa a parte que eu mais gostei. Tira a roupa da máquina de lavar e coloca naquelas secadoras "estyles" norte-americanas que eu virei fã. O dia que eu tiver um pouco de dinheiro eu vou comprar uma dessas, nem que eu tenha que virar sócio da companhia de energia elétrica. Demora uns 40 minutos mas a roupa sai sequinha, quente, e macia.
Bom, essa postagem ficou bem confessadamente "amélia", mas não tinha outro jeito. Achei prático, como deveria ser. Mas não sei porque, sempre tive uma imagem de que lavanderias serviam mais pra atrapalhar do que pra ajudar, e pra tirar dinheiro da gente. Mudei completamente essa imagem.
E, como vocês podem notar, lidar com tarefas domésticas é algo complexo pra mim. Ou melhor, eu que deixo tudo ficar idiotamente complexo.

7 comentários:

Carol disse...

Querido, não me surpreendeu.
Além disso, as pessoas poderiam te criticar dizendo que esse foi um gasto inútil mas a gente não paga pela máquina de lavar e sim por esse "conforto" todo.
Eu amava ir nas lavanderias americanas. Nas mtas q fui tinha até fliper pra ficar jogando enqto esperava terminar... q saudades...

Carol disse...

Querido, não me surpreendeu.
Além disso, as pessoas poderiam te criticar dizendo que esse foi um gasto inútil mas a gente não paga pela máquina de lavar e sim por esse "conforto" todo.
Eu amava ir nas lavanderias americanas. Nas mtas q fui tinha até fliper pra ficar jogando enqto esperava terminar... q saudades...

Carol disse...

Querido, não me surpreendeu.
Além disso, as pessoas poderiam te criticar dizendo que esse foi um gasto inútil mas a gente não paga pela máquina de lavar e sim por esse "conforto" todo.
Eu amava ir nas lavanderias americanas. Nas mtas q fui tinha até fliper pra ficar jogando enqto esperava terminar... q saudades...

Cristina disse...

Vixi, eu lembrei agora de um especial que passou na Cultura - e reprisaram algumas vezes depois. O nome era "Um banho de aventura", e foi a primeira vez que apareceu o Júlio (o menino do Cocoricó rs). A história era que a mãe dele havia mandado o leão de pelúcia - o Léo - pra lavar na lavanderia. O Júlio foi atrás, e como o bicho havia se perdido, se não me engano, ele entra dentro de uma das máquinas e vai pra um mundo paralelo. Coisa de criança rs. Mas bizarro. E bom, muito bom rs.
beijo!

Bruna_ disse...

eu passei lá na frente hoje e dei risada imaginado você sentando em uma das cadeirinhas de plástico brancas vendo a roupa girar, antes de ir ver tv..

isso deve ser terapêutico também.
; )

Bruna_ disse...

o email que eu te passo tá voltando.
eu vou retomar o blog do curupira, acho que poderiamos colocar aquela discussão que tivemos, os três, o que acha?

Menina Enciclopédia disse...

é aquele episódio q o Kramer joga um saco de cimento dentro da máquina de lavar? é pq tem vários em lavanderia rss tem aquele q o Seinfeld fingi ser casado com a "monica de friends" pra ganhar desconto e eles usam a roupa deles...
bem, antes lavar do q passar, passar é muito pior!