quinta-feira, 25 de janeiro de 2007

"from here (alway) to eternity"

Hoje acordei e sentei direto a bunda na cadeira do computador só pra escrever isso, antes que eu me esqueça (eu nunca lembro dos meus sonhos meia hora depois que eu levanto da cama).
Merece uma postagem aqui no blog (e lá no Sleepy Feeling) pois é um sonho "sui generis", que não acontece sempre. Primeiro, porque ele se repetiu por três vezes exatamente do mesmo jeito, nas mesmas circunstâncias, e com os mesmos detalhes, em dias diferentes. Segundo, porque em todas as noites que eles surgiram eu acordei bem no dia seguinte, e animado.
Basicamente, eu cheguei numa casa, um chalé, parecido com aqueles dos hobbits no filme "Senhor dos Anéis" (só que em versão normal, e não em miniatura como aqueles). Era no entardecer, se não me engano. A casa ficava no alto de uma campina, no meio de um campo (lembro que havia uma serra no horizonte ao fundo, parecida com a Cantareira que eu vejo aqui da minha janela).
Bato na porta, e uma pessoa me recebe. Entro, e encontro uma penca de gente (uma família) fazendo a maior bagunça, e se divertindo. Haviam duas camas num canto, alguns sofás, e uma lareira (acesa) ao fundo. Eu identificava alguns rostos conhecidos nessas pessoas, da minha família inclusive, mas a família na verdade era da pessoa que eu estava procurando (descobri isso no final do sonho).
Olhei para todos, procurei, e perguntei: "Onde está a Bruna?". Uma pessoa sentada numa cadeira de balanço estica o dedo e aponta pra uma menina escondida atrás de duas pessoas, numa das camas, com o rosto enfiado no travesseiro. Era ela.
Nesse ponto, o sonho dá um corte, e lembro de subir algumas escadas com ela e chegar em algo que parecia um sótão, com uma sacada que dava de frente pra essa serra que eu citei. Do nada, começou uma "trilha sonora" no sonho (não tinha aparelho de som no chalé, frise-se, pelo menos eu não vi). Eu lembro que o refrão repetia a frase "rolling to the river", algo assim. Depois me lembrei que existe uma música do Creedance Clearwater Revival com um refrão parecido, ou de uma banda parecida.
Ela chegou numa estante, pegou um livro vermelho vinho, abriu, e começou a ler uma poesia, o título era "from here (alway) to eternity" (o texto era em inglês, mas ela recitou em português mesmo). Eu lembro em detalhes da poesia, mas sinceramente, não sei porque, não consigo escrever aqui. Frase por frase. Só sei que falava sobre a busca por ideais, sobre amizade, as pessoas de quem gostamos, e, no final, sobre a morte (se não me engano a última estrofe, essa parte não lembro bem -- nesse momento do sonho começou a aparecer uns créditos na "tela", como se estivéssemos no fim de um filme no cinema -?-), ou sobre algo muito melancólico.
Interessante que durante todo o sonho a minha querida amiga Bruna não dirigiu uma só palavra a mim (tirando a poesia), só sorria. Todas as outras pessoas que apareceram no sonho também conversavam entre si, mas nenhuma se voltou diretamente falando comigo. Era como se eu estivesse num lugar onde ninguém me conhecia, um forasteiro. Mas todos me aceitavam.
Enfim, esses "créditos" apareceram e o sonho acabou (essa parte eu não lembro bem). Mas o que me deixou encucado foi que o sonho se repetiu exatamente do mesmo jeito em três noites. Na primeira, o sonho parou no começo, enquanto estava no andar debaixo do chalé, na segunda e na terceira, foi por inteiro. Se não me engano, a única diferença é que no segundo sonho não tinham esses "créditos" no final. Aliás, em meio a nomes russos, ou nórdicos (sei lá), haviam nomes de pessoas conhecidas e próximas nesses créditos.
Bom, outra coisa que me lembro muito bem é que depois desses sonhos eu acordei com uma sensação muito boa de bem estar. Inclusive agora (vai dar pra aproveitar bem o feriado). Algo como uma "lavada no espírito".
Alguém aí arrisca desvendar o significado disso tudo?

4 comentários:

Alexandre disse...

eu só achei meio brega o título da poesia.. parece nome de disco de banda de heavy metal melódico.. :PPP

Cristina disse...

Eu só digo uma coisa: me-do
rsrs

E eu sonhei com você essa noite.
beijo!

Cristina disse...

Ei, peraí, que nomes russos eram esses? O.o

Bruna_ disse...

como assim eu fico sabendo disso pelo seu blog?
huehuehuehuehue

eu sou boa em recitar poesias ; )
rs

besitos