sexta-feira, 23 de março de 2007

água

(Rio Pinheiros-SP, por Henrique)
Ontem (agora pouco; estou escrevendo nas primeira horas do dia), dia 22 de março, foi o Dia Mundial da Água. Bom, eu já estava a par com as notícias, mas a ficha realmente caiu ontem de manhã, quando fui tomar banho e descobri que a válvula dinossáurica da privada do meu banheiro estava (está) com problema.
Bom, válvula de privada com problema tem um resultado certo: desperdício de água. Aí eu lembrei de um aviso no "hall" de entrada do meu prédio clamando os condônimos pra que verificassem os aparelhos hidráulicos dos seus apartamentos pois a conta de água do prédio estava fora de controle.
Eu entrei no chuveiro e fiquei olhando pra minha privada (no meu banheiro de kitnet eu tenho essa visão privilegiada), e confabulando sobre toda essa questão da importância do tratamento e da conservação da água nos dias atuais.
Não é preciso nem dizer que a água é algo vital pro ser humano por uma questão orgânica. Sem água, nós não existimos. Mas existem todas as questões subjacentes. Enquanto a humanidade ainda não era uma "praga" no planeta, essas questões não eram levantadas nem discutidas, em especial o aspecto econômico da coisa. Água sempre foi um bem abundante, mas está deixando de ser, ou seja, está ganhando cada vez mais valor econômico e virando uma "commodity".
Aí, lá debaixo do chuveiro, lembrei que o nosso país está em cima do maior complexo aquífero do planeta. E lembrei também que o petróleo é uma "commodity", e que o planeta todo se trucida por causa de petróleo. Aí minha cabeça foi longe (vocês imaginam até onde).
Terminei o banho, e dessa vez precisei usar o vaso com a função própria para qual ele foi desenvolvido. Bom, aquele cheiro característico do momento me fez lembrar da importância da água denovo, mais precisamente de um rio muito conhecido nosso (esse aí de cima na foto). E de como nós tratamos da utilização do nosso sistema de abastecimento de água, em especial aqui em São Paulo.
A coisa girou, girou, e chegou a conclusão óbvia. Aquele cheirinho que sempre circula perto dos melhores e mais úteis vasos sanitários poderia bem sair das nossas cabeças. Pois, no fundo, se analisarmos bem, e levando em conta a forma como lidamos com esse elemento ímpar da natureza, ela está realmente recheada daquilo que melhor representa a "evolução" da nossa espécie.

6 comentários:

*/* disse...

legal... sou novata no mundo de Blogs em brasileiro, gostei!

Cristina disse...

Quando a Terra for igual ao filme Mad Max, eu não vou mais querer morar nesse planeta :/
beijo!

mó difícil conseguir comentar aqui :p

Carol disse...

Sabe o que você compra com 1 centavo, uma única moedinha de um centavo que muitas vezes a gente ignora?
14 litros de água.
Mais que suficiente pra um banho rápido...
Realmente a água virou uma coisa banal e só algumas pessoas percebem sua importância...
Um dia, todas acordarão e perceberão mas até lá muita bosta vai se misturar a ela....
bjo

Carol disse...

Ah, só pra informar: a informação sobre o valor citado é genuína.
1 centavo é o custo de 14 litros de água tratada cobrada ao consumidor final na Companhia de Saneamento do Paraná (SANEPAR).
Eu (servidora pública federal com fé pública!) e minha mãe (funcionária de lá há quase 20 anos) assinamos embaixo.

Carol disse...

E sabe do que mais?

Vou aproveitar o espaço dos teus comentários pra fazer uma crítica a muita gente ignorante que anda por aí falando mal das companhias de saneamento (não só do PR), reclamando que a taxa básica mensal é um absurdo, que a água é de todos e não tem dono portanto não devia ser cobrada, que por terem algumas ações vendidas para estrangeiros as empresas de saneamento estão nadando em dinheiro, blá blá blá.

Que etupidez!

Sim! A água é de todos tanto que vc pode sem problemas chegar na praia ou em algum rio com um balde e carregar pra tua casa qtos litros quiser de água doce ou salgada!
Só tem um detalhe: NÃO É TRATADA!

Daí vem a principal desculpa dos ignorantes: "eu pago a taxa básica mas não gasto nem X litros".

Não gasta porque não quer! A empresa não vai prever quanto de sede vc terá ou qtas vezes irá ao banheiro! É preciso ter um valor base! Tem gente que recomenda beber 2 litros de água, tem gente que bebe sei lá qtos % do seu peso corporal diariamente. E bebo 1 litro de café por dia e ainda assim, só porque é água com café! Nem por isso tô reclamando de não beber tanto qto os atletas!!!

Se às 3h da manhã, vc sentir sede, pode ir na torneira e tomar um copo com água TRATADA! Se estiver com diarréia, pode dar a descarga com a GARANTIA de que seus dejetos NÃO VÃO PARAR EM NENHUM RIO!

Mas sempre existe uma outra opção para os revoltados sem noção!

Ninguém é obrigado a contratar os serviços de esgoto e saneamento que as empresas (terceirizadas ou não) oferecem!

Você pode preferir por exemplo, às 3h da manhã qdo sentir sede, andar até o riozinho ou poço cartesiano mais próximo de sua casa e beber a água de lá! Aproveita também e pega uns mosquitinhos da dengue e outras bactérias e "vírus da noite"!!! Já fica como o lanche da madrugada!

O povo reclama, reclama, reclama mas não dá valor ao que as empresas fazem. Sequer questionam o porquê determinada empresa estrangeira comprou as ações de tal cia. de saneamento brasileira... As pessoas não têm idéia da tecnologia, dos produtos trazidos, do montante financeiro destinado à pesquisa para melhor filtragem, mencionados EM CONTRATO, que essas parcerias têm que fornecer anualmente em benefício de todos (brasileiros, estrangeiros, sócios ou não, POPULAÇÃO). É mais fácil dizer "vieram pra ganhar dinheiro em cima dos brasileiros". Mas você sabe o quanto foi investido nesses 8 anos de governo em tratamento de água por interesse federal próprio, sem o envolvimento das empresas de sanemaneto já existentes? ZERO!

Elas, com certeza daqui alguns anos, vão quadriplicar o valor dessa água tratada e só então, TALVEZ, caia a ficha da galera de que qto mais difícil for pra tratar a fonte (os rios), mais caro a contratante vai cobrar de nós consumidores...

Desculpa o desabafo.
Cara, além do calor que tá aqui em Curitiba, esse papo me deu a maior sede! rs

Alexandre disse...

carol,

eu entendo o seu desabafo, mas não concordo com sua posição.. hehehehe.. afinal, quais as vantagens de se privatizar um serviço pra lá de essencial?.. eu não vejo muito sentido, sem ter algum interesse específico por trás.. e que com certeza não é nem um pouco nobre.. qualquer empresa privada que funcione bem visa um fim certo: lucro.. e um serviço fundamental como esse não pode ter seu desenvolvimento atrelado a essa "engrenagem-chave".. opinião pessoal.. :)