sábado, 18 de agosto de 2007

empty spaces dicas: "Memory Almost Full" (2007)

("Memory Almost Full" - 2007 - Paul McCartney)

Estava enrolando um pouco pra comentar sobre o último disco solo do "Macca" aqui. Queria escutar bastante antes pra emitir um juízo de qualidade (afinal, é um tópico onde eu me meto a querer fazer pretensas resenhas musicais). Acho que cheguei no ponto certo.

Tudo o que eu escrevi no post em que comentei sobre o "Chaos and Creation.." vale aqui pra esse álbum. É tão bom quanto. Talvez a principal diferença seja que o "Memory Almost Full" seja um disco mais animado, criativo, aberto, e sofisticado, enquando o anterior é mais triste, conservador, fechado, e denso. De qualquer maneira, eu ouso dizer que são dois dos mais autênticos (e melhores) álbuns que Sir McCartney já produziu em carreira solo, seguindo a mesma filosofia dos já clássicos "McCartney" (1970) e "RAM" (1971). Álbuns em que ele não tentou fugir do "fantasma" dos Beatles e deixou a coisa fluir.

Esse disco talvez tenha um certo esmero musical que o diferencia dos outros três. Percebe-se ali um esforço pra fazer um trabalho superior, com músicas muito bem "desenhadas" e que exalam requinte. As letras também (assim como no "Chaos..") estão num nível mais elevado, saindo um pouco da superficialidade daquelas canções mais "grudentas" que o "Macca" fazia com os Wings e nos seus discos mais fracos.

Basicamente, como bem demonstra a capa do disco, Paul senta na "poltrona do avô" e encara o fato de que as coisas estão chegando ao fim. A temática que domina é o "diálogo" com a própria maturidade, as memórias, e uma certa crítica ao excesso de informação da nossa vida atual (palavras do próprio).

Eu particularmente gostei muito das faixas "Dance Tonight", "Ever Present Past", "You Tell Me", "Vintage Clothes", "That Was Me", "Feet in the Clouds", "End of the End" (um verdadeiro "testamento poético") e "Why So Sad".

O álbum vem com três faixas bônus (não sei se em todas as edições): "In private", "Why So Sad" e "222".

Pros viciados em cafeína como eu, o CD foi distribuido por um selo musical da rede de cafeterias Starbucks. E o melhor, as lojas deixam o dito cujo de trilha sonora de fundo enquanto você toma o seu cafézinho.

Setlist:

01- Dance Tonight
02- Ever Present Past
03- See Your Sunshine
04- Only Mama Knows
05- You Tell Me
06- Mister Bellamy
07- Gratitude
08- Vintage Clothes
09- That Was Me
10- Feet in the Clouds
11- House of Wax
12- End of the End
13- Nod Your Head

Bônus:

14- In Private
15- Why So Sad
16- 222

2 comentários:

Carrie Bradshaw Tupiniquim da Silva disse...

Bem, ouvi só a primeira... vou ter q escutar o resto pra ver o q eu acho, mas essa é bem lindinha!
beijo!

Cristina disse...

Eu costumo ouvir enqto estou fazendo alguma outra coisa; preciso parar para "saborear" o disco qualquer hora ;]