segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

desconstruindo Kubrick

Eu já deixei algumas pistas aqui no blog, mas não custa afirmar mais uma vez que o meu diretor de cinema favorito é o inglês Stanley Kubrick. Muita gente que freqüenta esse espaço também deve ter a mesma opinião, e já deve conhecer bem o conjunto da obra do sujeito. Eu porém, até recentemente, tinha visto apenas quatro filmes ("Doutor Fantástico", "2001 - Uma Odisséia no Espaço", "Laranja Mecânica" e "Nascido para Matar" - o primeiro desses eu já comentei no blog: aqui), sendo que a meta é ver todos esse ano. E se me der ânimo, fazer uma postagem definitiva comentando os 13 longas.


"Glória Feita de Sangue"


Três semanas atrás, aproveitando o tempo livre e graças a dica da amiga Lucy, tive a oportunidade de assistir a mais dois filmes do diretor (oportunidade rara, em tela grande - cinema - e de graça). Primeiro vi este, "Glória Feita de Sangue", filme rodado ainda em preto e branco e que eu nem lembrava que fazia parte da filmografia do diretor. Muito boa película. O começo é meio arrastado, mas o filme vai melhorando aos poucos. Como em todo filme do Kubrick, os planos e seqüências de cenas são belíssimos, destaque para a cena do avanço da tropa pelo campo de batalha em direção ao inimigo. Coisa fina. E claro, o ponto alto da película, na seqüência de cenas do julgamento dos soldados pretensamente desertores por um tribunal militar. É um filme bem simples, ingênuo até, talvez o mais despretensioso do diretor. Eu não diria que é algo pra que gosta do gênero épico ou bélico, mas pra quem curte uma boa e elegante ironia.

Ficha Técnica

Título Original: Paths of Glory
Gênero: Guerra
Tempo de Duração: 87 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 1957
Estúdio: United Artists / Bryna Productions / Harris-Kubrick Productions
Distribuição: United Artists
Direção: Stanley Kubrick
Roteiro: Stanley Kubrick, Jim Thompson e Calder Willingham, baseado em livro de Humphrey Cobb
Produção: James B. Harris
Música: Gerald Fried
Fotografia: Georg Krause
Direção de Arte: Ludwig Reiber
Figurino: Ilse Dubois
Edição: Tom Finan

Elenco

Kirk Douglas (Coronel Dax)
Ralph Meeker (Phillip Paris)
Adolphe Menjou (General George Broulard)
George Macready (General Paul Mireau)
Wayne Morris (Tenente Roget)
Richard Anderson (Major Saint-Auban)
Joe Turkel (Recruta Pierre Arnaud)
Peter Capell (Juiz da Corte Marcial)
Emile Meyer (Padre Dupree)
Bert Freed (Sargento Boulanger)
Kem Dibbs (Recruta Lejeune)
Timothy Carey (Recruta Maurice Ferol)


"O Iluminado"


Alguns dias depois, voltei ao Centro Cultural Vergueiro (os filmes foram exibidos em uma mostra especial dedicada ao diretor) para ver "O Iluminado". Apesar de ter ficado mais de três horas esperando para conseguir ver o dito (enfim, o preço que se paga pra ver algo de graça em SP), valeu a pena. É disparado o melhor filme de suspense que eu já assisti, talvez o que mais lembre "2001" entre os demais filmes do Kubrick, em especial pelo uso diferenciado da trilha sonora e de cenas abstratas "cabeçudas". Não é qualquer filme que consegue prender totalmente sua atenção por duas horas initerruptas. Sem falar na atuação diferenciada (e memorável) do Jack Nicholson, que compensa até a péssima atuação da atriz Shelley Duvall como a esposa histérica. Não é o melhor trabalho do diretor (na minha opinião, dos que eu vi até hoje, nenhum superou a clássica "Odisséia no Espaço"), mas com certeza está entre os melhores. E claro, não podemos deixar de citar a atuação discreta mas fundamental do Tommy, o dedo humano (e "ator") mais talentoso de toda a história do cinema. Um filme altamente recomendável pra pessoas com tendência paranóico-psicóticas, de sono fraco, e que curtem um belo pesadelo noturno.

Ficha Técnica

Título Original: The Shining
Gênero: Terror
Tempo de Duração: 144 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 1980
Estúdio: Warner Bros.
Distribuição: Warner Bros.
Direção: Stanley Kubrick
Roteiro: Diane Johnson e Stanley Kubrick, baseado em livro de Stephen King
Produção: Robert Fryer e Stanley Kubrick
Música: Wendy Carlos e Rchel Elkind
Direção de Fotografia: John Alcott
Desenho de Produção: Roy Walker
Direção de Arte: Leslie Tomkins
Figurino: Milena Canonero
Edição: Ray Lovejoy

Elenco

Jack Nicholson (Jack Torrance)
Shelley Duvall (Winifred "Wendy" Torrance)
Danny Lloyd (Danny Torrance)
Scatman Crothers (Dick Hallorann)
Barry Nelson (Stuart Ullman)
Philip Stone (Delbert Grady)
Joe Turkel (Lloyd)
Anne Jackson (Doutora)
Tony Burton (Larry Durkin)
Barry Dennen (Bill Watson)

2 comentários:

Cristina disse...

Eu me emocionei nessa cena da batalha do primeiro filme. Qto ao segundo, é um dos meus preferidos ever. Só as caras de psicopata do Jack Nicholson já compensam rs. E eu vi algumas semelhanças com "Laranja mecânica" e "De olhos bem fechados" tbém. :]

lucie disse...

Ainda está para nascer alguém que diga que a Shelley Duvall atuou bem em O Iluminado (aliás, ela foi indicada ao Framboesa de Ouro por esse filme). Eu fiz um TOP dos filmes do Kubrick que assisti lá no meu Flixster. Dá uma passada lá - http://www.flixster.com/movie-list/kubricks