sexta-feira, 20 de junho de 2008

o vermelho e a mudança


Na política, essas duas palavras costumam andar juntas. Pelo menos até o vermelho se tornar "vidraça". Pois elas ultimamente andam juntinhas por aqui também, na minha vida pessoal. Mais precisamente num dos quartos aqui da minha futura ex-casa nova (deu pra entender?).
Estou escrevendo esta postagem quebradaço, com uma baita dor nas costas. Já foram três "mãos" de pintura e a coisa ainda não nivelou. Mas até domingo eu resolvo isso. Vai ser um final-de-semana agitado, e ao mesmo tempo renovador.
Pois é, enquanto deixava girar o rolo de tinta cor de sangue na parede, vários pensamentos rolavam aqui dentro da minha cabeça. Alguns novidadeiros, outros relembrando e vasculhando três anos de muito aprendizado e, porque não, conquistas.
Com o tempo a gente descobre que ficar isolado na trincheira mais a frente, quase de cara com o inimigo, não é a melhor política. E que o importante mesmo é não ficar parado, seja caminhando em direção às fronteiras, ou recuando quando for preciso. Parece simples, mas não é. Quando você se dá conta, já deixou seu rifle de lado, derrubou o capacete, e cochilou com a mira do inimigo apontada pra sua cabeça.
Mas eu estou animado. Esse vermelho estará na cabeceira da minha cama por um certo tempo, lembrando do sangue que corre ali dentro. Não costumo acreditar em destino ou coisa do tipo, mas essas providenciais coincidências sempre me fazem confabular sobre aquela oculta e sinistra teia da vida que corre por trás do nosso dia-dia. E porque não, abrir um sorriso.

A pintura desse quarto não tinha relação alguma com a minha repentina mudança para o dito cujo (além da mudança de cidade).

4 comentários:

Garota no hall disse...

Hein? Alê, você é discreto demais... só falta código Morse agora, hahaha! Boa semana :-)

doug disse...

quando eu for morar sozinho quero uma dessas!

Garota no hall disse...

Hum, o pseudônimo confundiu você... Então veja meu outro blog

Cristina disse...

Gostei dessa postagem.
Pode ter sido um feng-shui involuntário (?), mas tenho certeza de que vai dar certo. ;]