sábado, 30 de agosto de 2008

"Double Fantasy" (1980)

(John Lennon & Yoko Ono - Double Fantasy - 1980)

Eu comecei a gostar de música escutando a coleção de vinis do meu pai. Entre as melhores preciosidades, esse era um dos destaques. Aquela capa dos dois amantes se beijando sempre me chamava a atenção dentro dos meus parcos 10, 11 anos de idade. Eu não conhecia nada. Meu mundo se resumia a Jaspion, Balão Mágico, e Show da Xuxa. Poderíamos até arriscar que esse trabalho do Lennon moldou meu gosto musical. A partir daí comecei a ouvir os outros LPs dos Beatles (incluindo um original importado do "Please Please Me" - 1962) guardados na coleção do "véio", e a coisa desenrolou.
O encarte era, ou melhor, é (eu ainda tenho o álbum) surrado, o disco "pipocava" do começo ao fim (não estava no melhor dos estados de conservação - acho que meu pai andou emprestando pra alguém, ou detonou o dito na vitrola), mas eu acionava a agulha, deitava no sofá, e me transportava pra outro planeta.
Junto com "Plastic Ono Band" (1970) e "Imagine" (1971), esse disco forma a tríade dos melhores trabalhos solo do homem que liderou a maior banda de todos os tempos. Mas ao contrários dos outros dois, o "Double Fantasy" perde alguns pontos por um pequeno e escrotíssimo detalhe: a Yoko canta e assina metade das músicas. Lembro inclusive o trabalho hérculo que tinha na época de ter que ficar tirando e pondo a agulha o tempo inteiro pra poder pular as faixas da japa. A dupla fez o favor de alternar as músicas no esquema uma pra mim uma pra você na sequência. Um pé no saco. Mas vamos pra parte boa.
Esse álbum marca a volta do ex-beatle depois de um hiato de 5 anos na carreira parado pra cuidar da família. Muito superior aos petardos irregulares que ele vinha produzindo nos trabalhos predecessores, o álbum é muito bem produzido. "(Just Like) Starting Over", Cleanup Time", "I´m Losing You", "Beautiful Boy (Darling Boy)", "Watching the Wheels", "Woman", toda a seqüência de faixas do Lennon são boas, gostosas de ouvir. E pra não dizer que todo o "lado Ono" do disco é desprezível, ficou legal "I´m Moving On" da moça logo após "I´m Losing You" do beatle, formando um "quase meddley" interessante.
De qualquer maneira, pra mim, o grande destaque do disco fica com a faixa "Watching the Wheels". Uma das minhas canções favoritas de todos os tempos. Mostrando um Lennon maduro, com um olhar sereno sobre o mundo e sua própria arte.
Era o começo de uma nova fase, com um músico renovado, que tinha tudo pra produzir (mais) grandes pérolas musicais. Infelizmente tinha um idiota no meio do caminho, que interrompeu a trajetória de um traço humanista belíssimo.
Lennon morreu em dezembro, mas não sei porque sempre lembro da sua morte em agosto. Um dos motivos que me fez recuperar este álbum esses dias. Audição que recomendo, como sempre, para tudo e todos.
And here we go again:



People say I'm crazy doing what I'm doing
Well they give me all kinds of warnings to save me from ruin
When I say that I'm o.k. well they look at me kind of strange
Surely you're not happy now you no longer play the game

People say I'm lazy dreaming my life away
Well they give me all kinds of advice designed to enlighten me
When I tell them that I'm doing fine watching shadows on the wall
Don't you miss the big time boy you're no longer on the ball

I'm just sitting here watching the wheels go round and round
I really love to watch them roll
No longer riding on the merry-go-round
I just had to let it go

Ah, people asking questions lost in confusion
Well I tell them there's no problem, only solutions
Well they shake their heads and they look at me as if I've lost my mind
I tell them there's no hurry
I'm just sitting here doing time

I'm just sitting here watching the wheels go round and round
I really love to watch them roll
No longer riding on the merry-go-round
I just had to let it go
I just had to let it go
I just had to let it go

("Watching the Wheels" - John Lennon)

"Double Fantasy" - Setlist:

01. "(Just Like) Starting Over" (John Lennon)
02. "Kiss Kiss Kiss" (Yoko Ono)

03. "Cleanup Time" (John Lennon)
04. "Give Me Something" (Ono)
05. "I'm Losing You" (John Lennon)
06. "I'm Moving On" (Ono)
07. "Beautiful Boy (Darling Boy)" (John Lennon)
08. "Watching the Wheels" (John Lennon)
09. "Yes I'm Your Angel" (Ono)

10. "Woman" (John Lennon)

11. "Beautiful Boys" (Ono)
12. "Dear Yoko" (John Lennon)
13. "Every Man Has a Woman Who Loves Him" (Ono)

14. "Hard Times Are Over" (Ono)


Bonus tracks on 2000 re-release:

15. "Help Me to Help Myself" (John Lennon)
16. "Walking on Thin Ice" (Ono)
17. "Central Park Stroll" (dialogue)

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Olimpíadas Pequim 2008: pitaco final

(olha lá, o busão chegou.. é esse aí mesmo que eu vou pegar.. :D )

Eu disse lá atrás que iria tecer algumas considerações finais sobre os Jogos Olímpicos de Pequim e o desempenho do Brasil. Bom, nem tenho muito o que dizer, o presidente do comitê olímpico já tocou o dedo na mais que óbvia ferida e disse que o Brasil precisa reforçar o trabalho psicológico dos atletas. Ok, mas aí eu fico me perguntando até que ponto isso realmente mudaria a situação, uma vez que o problema é mais profundo e delicado.
A questão do nervosismo e das variações psicológicas pelo fato de estar numa competição como essa atingem todas as equipes de todas as nações. Norte-americanos, chineses e russos voltam e meia "amarelam" também. O problema nosso, na minha opinião, é de cunho cultural, relacionado a valores sociais muito mais que enraizados. Algo que não se resolve com psicologia individual ou grupal, mas com muita política, e das boas. Não falo só de mais verbas (aliás, as verbas do governo para essa olímpiada foram recordes), infra-estrutura, mas também de educação. E não estamos falando aqui de educação física, mas daquilo que faça um garoto de 5 anos daqui a 20 anos não melindrar (inconscientemente) sobre a sua auto-consciência de altivez cultural.
Aí o leitor esclarecido provoca: mas isso é chover no molhado, é a mesma ladainha de sempre que estamos carecas de saber. E eu retruco: se está tão molhado assim e estamos tão carecas é porque há algo de muito turvo encravado na nossa consciência política já bem crescidinha. Precisamos é parar de ficar jogando a bola pro outro lado da quadra, lá onde nossa verve cínica trabalha um esquema de ataque impecável e mais do que bem treinado.

img: Lucas Bruno/AP; Folha SP.

domingo, 24 de agosto de 2008

6.000 toneladas

Lá vai mais uma postagem de utilidade pública. Dessas que obviamente não aparecem no Jornal Nacional. Mas como sempre, "Empty Spaces News Corp." junto com sua amiguinha Folha de S. Paulo estavam a postos e não deixaram passar.

Brasil importa agrotóxico vetado no exterior

Até julho, país importou mais de 6.000 toneladas de substâncias que foram proibidas nos próprios países onde são produzidas

Segundo a OMS, esses produtos podem causar problemas no sistema nervoso, câncer e danos ao sistema reprodutivo

ANGELA PINHO
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

Enquanto a Justiça proíbe a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) de fazer a avaliação toxicológica de agrotóxicos comercializados no país, o Brasil já importou, até julho deste ano, mais de 6.000 toneladas de substâncias que foram vetadas pelos próprios países que as produzem.
Essas substâncias são usadas para fabricar cerca de cem agrotóxicos utilizados em culturas de frutas, feijão, grãos, batata e café, entre outros.
Entre os possíveis efeitos decorrentes da ingestão dessas substâncias, apontados pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e pelas agências da União Européia e dos Estados Unidos, estão problemas no sistema nervoso, câncer e danos ao sistema reprodutivo.
Os mais afetados são os trabalhadores da agricultura, que manipulam diretamente os produtos. Especialistas afirmam que há também risco para o consumidor dos produtos agrícolas. No entanto, ressalvam que, muitas vezes, é difícil estabelecer um nexo causal entre a substância e a doença.
Nos últimos anos, a evolução dos estudos levou outros países, principalmente da União Européia, a proibir determinados componentes dos agrotóxicos. Por causa do cerco internacional, a Anvisa decidiu reavaliar neste ano o registro de nove deles, que fazem parte da composição de 99 agrotóxicos.
Em agosto, o processo foi suspenso por uma decisão liminar do juiz Waldemar Claudio de Carvalho, da 13ª Vara da Justiça Federal no Distrito Federal, em favor do Sindag (sindicato das indústrias de defensivos agrícolas).
A entidade argumenta que o procedimento adotado pela Anvisa não dava aos fabricantes direito a ampla defesa.
José Roberto da Ros, vice-presidente-executivo do Sindag, afirma que alguns países podem cancelar o registro de algumas substâncias por terem encontrado um similar mais barato, e não por questões toxicológicas (leia nesta página).

A íntegra da reportagem pode ser lida aqui.

fonte: Folha de São Paulo; notícia publicada em 23/08/2008.

Modo "complexo de vira-lata" ativado, como sempre. Pense bem, converse muito com o seu amigo tomate na seção de hortifruti do mercado preferido, relaxe, e goze.

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Casal 20 (cronologia capilar)

Eu e a Cris deitamos e rolamos na brincadeira do site Yearbook Yourself. Depois do sexo, talvez a atividade mais prazerosa que existe: rir de si mesmo.



(Em 1974 - trilha sonora: Pink Floyd e Carpenters)




(Em 1978 - trilha sonora: Ramones e Gloria Gaynor)




(Em 1982 - trilha sonora: Stevie Wonder e ABBA)




(Em 1984 - trilha sonora: Lionel Ritche e Cindy Lauper)

terça-feira, 19 de agosto de 2008

"The Shock of the Lightning"



I’m all over my heart’s desire,
I feel cold but I’m back in the fire.
Out of control but I’m tied up tight.
Come in, come out tonight.

I’m comin’ up in the early morning,
I feel love in the shock of the lightning
I fall into the blinding light
Come in, come out, come in, come out tonight.

Love is a time machine,
Up on the silver screen
It’s all in my mind
Love is a litany
A magical mystery.
And all in good time, and all in good time,
and all in good time

I got my feet on the street but I can’t stop flyin’
My head’s in the clouds but at least I’m tryin’
I’m out of control but I’m tied up tight.
Come in, come out tonight.

There’s a hole in the ground into which I’m fallin’
So God’s speed to the sound of the poundin’
I’m all into the blinding light,
Come in, come out, come in, come out tonight.

Love is a time machine,
Up on the silver screen
It’s all in my mind
Love is a litany
A magical mystery.
And all in good time, and all in good time,
and all in good time

It’s all in my mind,
Love is a time machine,
Up on the silver screen
And all in good time, and all in good time,
and all in good time

("The Shock of the Lightning" - N. Gallagher)

Rock and roll, baby! They´re back in the fire..
A trilha sonora do fim de ano está chegando.

o mago pop

(Rolling Stone ed. 23 - agosto/2008)

Algo como Iggy Pop na capa da revista Science.
Vergonha alheia.

domingo, 17 de agosto de 2008

fotolog reativado

Só pra registrar que reativei o espaço virtual que deu origem a toda essa "brincadeira". Na sua infância, Empty Spaces era um fotolog, cheio de egoshots e postagens pretensiosamente criativas (já lá se vão quase 4 anos).
Agora ele volta mais moderado e discreto, bom, eu espero.

Empty Spaces "júnior", o fotolog: clique aqui.

Olimpíadas Pequim 2008: o primeiro ouro

( César Cielo, o mais novo ás dos 50 metros)

Oi pessoal, estou mandando esta mensagem aqui do Cubo d’Água.

Acabei de ganhar a primeira medalha de ouro para o Brasil. Estou muito contente, muito emocionado, é a melhor fase da minha vida.

Espero que essa seja uma nova fase para a natação brasileira e que muitas medalhas continuem vindo aí nessa Olimpíada.

Um abraço!

(texto postado ontem e retirado diretamente do blog do rapaz)

Eu fiquei particularmente feliz pela natação ter "tirado o cabaço" dourado do Brasil nessas Olimpíadas, isso porque é o único esporte que eu gosto e tento praticar de forma amadora por aqui (aos trancos e barrancos, aliás; até queria escrever sobre a minha volta sem fôlego às piscinas campineiras). Além disso, pode-se dizer que é mais um dentre os esportes dos "guerreiros solitários" das terras tupiniquins.
Não é novidade nenhuma a total falta de estrutura e política esportiva adequada do governo brasileiro visando os jogos. Esse povo da natação sobrevive de patrocínios esparsos e do apoio das famílias de classe média alta que podem bancar anos de treinamento no exterior. É uma situação ridícula pra um país que tem potencial pra estar tranquilamente entre as dez primeiras nações medalhistas da competição.
Tirando futebol e vôlei, onde o Brasil tem tradição antiga, já dá pra visualizar um desempenho dourado pífio dos nossos atletas. Bom, mas eu vou parar de reclamar e deixar isso pro final da festa.

ADENDO:

Andei dizendo que iria fazer uma verdadeira "cobertura" dos jogos aqui pelo blog - ainda bem que ninguém acreditou. Mas posso indicar com total credibilidade o blog da colega Aline que vem "mastigando" pra gente todo o andamento das competições com propriedade.

img: http://ecraque.blogspot.com

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

My Iron Lung (ou nota sobre o coquetel do diesel com o enxofre)

Estão vendendo carro que nem água. Qualquer um que tenha enfrentado o trânsito das grandes metrópoles em dias recentes sabe do que eu estou falando. É visível. Em São Paulo já é um problema relativamente antigo, agora até aqui em Campinas as "veias" urbanas já estão "entupindo" em momentos de pico. Sem falar que em horários normais o trânsito já anda congestionado. Não tem definição melhor: o gigantesco "rebanho" de automóveis circulando são o verdadeiro "colesterol" das nossas cidades.
Eu nem vou perder tempo falando da necessidade de mudança do paradigma do modelo de transporte urbano no Brasil porque todo mundo já está careca de saber. Só sei que vou abrir um sorriso ironicamente maroto a la Jack Nicholson quando as nossas metrópoles "enfartarem" de vez.

O motivo da postagem é mais específico. Refere-se ao naco desse "rebanho" que é movido a diesel. Isso não passa no Jornal Nacional mas é um assunto de especial interesse público: o teor de enxofre existente no combustível diesel comercializado no Brasil.
Você não está a par? Então dê uma lida nesse abaixo-assinado promovido por várias entidades sérias cobrando uma atitude do governo pelo cumprimento das normas ambientais e pela mínima preservação da saúde dos nossos maltratados pulmões.

---

Considerando que a saúde é um direito protegido pela Constituição Federal;

Considerando que o óleo Diesel comercializado no Brasil contém alto índice de enxofre (de 500 a 2000 partes por milhão de enxofre);

Considerando que a queima do enxofre pelos veículos movidos a Diesel causa a emissão de material particulado fino na atmosfera, poluente é responsável por milhares casos de doenças e mortes de origem cardiorrespiratória anualmente, conforme estudos científicos divulgados pelo Laboratório de Poluição da Universidade de São Paulo;

Considerando que desde o ano de 2002 encontra-se em vigor a Resolução CONAMA n. 315, que estabeleceu o prazo de sete anos para a implementação integral da fase P6 do PROCONVE;

Considerando que esse prazo se encerra no dia 1º de janeiro de 2009, data a partir da qual os novos veículos deverão estar adaptados para a utilização de óleo Diesel com até 50 partes por milhão de enxofre (Diesel S50) e os postos de combustíveis deverão oferecê-los a todos os usuários;

Considerando que a Agência Nacional de Petróleo editou em 17 de outubro de 2007 a resolução ANP n. 32/2007, de forma lacunosa e evidentemente a destempo;

Considerando que a fase P6 do PROCONVE nada mais é do que uma adaptação brasileira da fase EURO-4 da União Européia e que, por tal motivo, sempre foi possível às montadoras conhecer plenamente qual seria o teor da Resolução ANP n. 32/2007;

Considerando que a ANFAVEA - Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores tem afirmado que as indústrias teriam ainda três anos para desenvolver os motores, contados da edição da Resolução ANP n. 32/2007;

Considerando que os fabricantes de veículos automotores tinham, desde 1º de janeiro de 2006, os instrumentos legais adequados para exigir das refinarias e distribuidoras de petróleo o Diesel S50, para realização de testes e que a não utilização de tais instrumentos constituiu ato de vontade unilateral destes fabricantes;

Considerando, enfim, que a defesa do direito humano da população à saúde e à vida não está condicionada à edição de uma tardia e lacunosa resolução da ANP;

As organizações, empresas e pessoas que subscrevem, afirmam:

1 - A mora da ANP em editar a Resolução n. 32/2007 não exime as montadoras e distribuidoras de cumprir as condições e os prazos fixados a Resolução n 315 do CONAMA.

2 - As montadoras de veículos automotores estão obrigadas a adaptar seus veículos para a utilização do diesel S50 a partir de 1º de janeiro de 2009.

3 - As refinarias de petróleo estão obrigadas a fabricar o diesel S50 para comercialização plena a partir de 1º de janeiro de 2009.

4 - As distribuidoras de petróleo estão obrigadas a fornecer em todos os postos de combustível o diesel S50 a partir de 1º de janeiro de 2009.

5 - A população brasileira tem direito a respirar um ar mais puro, com menor nível de material particulado fino, a partir de 1º de janeiro de 2009.

6 - A frustração do prazo fixado pela Resolução CONAMA 315/2002 em decorrência da mora de qualquer das partes envolvidas no processo de sua implementação poderá ensejar sua responsabilização civil, penal e administrativa pelos órgãos competentes, tanto sob a perspectiva dos direitos individuais das vítimas, do direito das entidades integrantes do SUS pelas despesas públicas com a promoção da saúde de tais vítimas e, afinal, do direito difuso ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, pelas doenças e mortes de origem cardiorrespiratória que poderiam ter sido evitadas e que não o foram em razão da não redução do material particulado fino na atmosfera nos níveis aguardados com o cumprimento integral da norma ambiental aplicável.

São Paulo, agosto de 2008

Movimento Nossa São Paulo
Instituto Akatu
Greenpeace
Fórum Paulista de Mudanças Climáticas Globais e de Biodiversidade
SOS Mata Atlântica
Instituto Brasileiro de Advocacia Pública (IBAP)
Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC)
Amigos da Terra – Amazônia Brasileira
Associação dos Professores de Direito Ambiental do Brasil – APRODAB
Instituto O Direito por um Planeta Verde
Associação Brasileira do Ministério Público do Meio Ambiente - ABRAMPA

fonte: Movimento Nossa São Paulo.

terça-feira, 12 de agosto de 2008

"interrogatório extremo"



Segundo o blog do Josias de Souza, é esse o nome dessa "brincadeira" que o governo norte-americano aplica sobre aqueles detentores dos tais direitos humanos que a nossa querida e maltratada Estátua da Liberdade preza tanto.

Leia mais aqui: "Sobre Bush, direitos humanos, vidraças e telhados".

Obs: Esse vídeo é uma simulação, tendo um jornalista como "cobaia".

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

eu ainda trucido esse cachorro

E eu estava navegando calma e aleatoriamente pela "blogosfera" quando me deparo com isso:


Um canino urinando na pequena e maravilhosa Natalie!
No que depender de mim, essa pequena bola de pêlo está com os dias contados.

fonte: blog MediaSoup

empty spaces na campanha: eu não sou amigo do Galvão

("bem amigos da rede globo!!.." - não, eu não sou seu amigo, e muito menos da Globo)

Só pra constar nos anais do blog o registro de que eu também aderi à campanha da coluna do Zé Simão "eu não sou amigo do Galvão".

Aliás, pra você que em tempos de Olímpiada não quer passar nervoso logo de manhã quando liga a televisão (e não tem alternativa aos canais pagos), a cobertura da Rede Bandeirantes é uma boa opção. Comentaristas de relativa qualidade, uma presença feminina mais farta e bela, e a ausência radical de histeria e "babação de ovo".

img: http://n.i.uol.com.br/uolnews/monkeynews_galvaobueno.jpg

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Olimpíadas Pequim 2008

(tirando o chapéu pros "china"..)

Junto com a privada, o papel higiênico, e o metrô, a Olimpíada provavelmente foi uma das maiores invenções da humanidade. Resumindo: qual outro evento consegue colocar na mesma roda um refinadíssimo trabalho de pacifismo geopolítico, entretenimento, esportes, saúde e cultura?
Essa é a primeira vez que o blog faz a "cobertura" de uma Olimpíada. Aliás, difícil a "blogosfera" ficar indiferente a esse evento. Até porque, consciente ou inconscientemente, somos todos uma variante de jornalistas amadores, e conseqüentemente, repórteres.
Não tenho muito o que falar sobre a parte esportiva porque não vi nada. Os dois jogos de futebol do Brasil passaram em branco. Aliás, muita coisa vai passar em branco. Com esse horário vou contar nos dedos os jogos que vou assistir.
Bom, pelo menos vi um pedaço (ao vivo) da abertura dos jogos. Acho difícil argumentar que essa não tenha sido a mais bela e interessante abertura dos jogos olímpicos modernos. Assim como é indubitável o talento dos chineses pra eventos megalomaníacos e perfeccionistas.
De qualquer maneira, o legal mesmo dessas olimpíadas passa pelo aspecto político. Acabei de ler aqui que a polícia chinesa fez uma "visita de cortesia" em um escritório do SBT em Pequim. Só porque um repórter tupiniquim baixou no seu computador algumas fotos produzidas pela Anistia Internacional.
Nós ocidentais temos dificuldade pra entender um sistema político justo e viável que não passe pelo liberalismo político e o conceito pós-guerra de direitos humanos, algo tradicionalmente (com exceções, lógico) aceito do outro lado do mundo. Até porque mais de um bilhão de pessoas não aceitariam (ao nosso olhar) ser censuradas sem que houvesse algum tipo de anuência. Não há sistema político que segure essa quantidade de gente sem aquiescência. Eu as vezes fico imaginando um país do porte da China vivendo num esquema de capitalismo radical como o dos EUA, que tipo de conseqüências (boas ou ruins) isso poderia trazer para o mundo.
Enfim, a coisa ainda só está começando e espero que seja interessante o suficiente pra colocar a buzanfa na poltrona às 6 da matina. E como diz a Cris, na próxima nós estaremos pra ver ao vivo.

img: Kevin Frayer/AP/Folha Online