sexta-feira, 17 de abril de 2009

6 coisas sobre mim

Atendendo a pedido da minha "ex-sócia" e colega de "bloguismo" Fabiana, vou relatar seis fatos pretensamente (des)interessantes sobre a minha vida pessoal. Como diria o Marcelo Adnet, uma postagem "furfle" pra abrir o feriado. Nada útil.

1. Megalomania

Bom, quem acompanha a algum tempo esse blog já deve ter notado. Já tentei criar até uma "corporação blogueira" segmentada a partir da máxima "o que devemos usar para preencher os espaços vazios onde costumávamos conversar?". Sem falar na tentativa incipiente de formalizar um "portal site" com colaboradores eventuais. Fora do mundo virtual, minhas guinadas espirituais pretensiosas de certa maneira foram fundamentais pra aventuras interessantes e mudanças saudáveis que aconteceram na minha vida. Por outro lado, a alcunha "sonhador", "vivendo no mundo da lua" e a frase "você é muito idealista!" sempre rondaram a minha pessoa. Atualmente, o botãozinho de grandiloqüencia meu anda cada vez mais desligado. Pro bem e pro mal.

2. Vício em cafeína

Essa dispensa muitos comentários. Estou acompanhado de meio mundo, e muita gente que lê esse espaço sabe do que estou falando. Nada escapa. Café, chás, refrigerantes, balas, analgésicos. Já ouvi alguém dizer que o vício é algo quase intrínseco à natureza humana, eu hei de concordar. E como todo bom vício, é melhor vivenciado quando compartilhado. Sentar pra um bom bate-papo numa cafeteria é algo de um teor quase existencialista pra mim. No mais, sou adepto e sigo estritamente dentro da máxima daquela comunidade do orkut: "Vivendo pelo café, morrendo com estilo".

3. Sadismo pré-juvenil com animais domésticos

Deixemos bem claro que não se trata de crueldade consciente, pois eu era um pirralho na época. Como toda criança, a curiosidade era o lema. O ponto alto e mais sinistro dessa "fase" foi a tentativa mal sucedida (ainda bem; desistência voluntária mode on) de "cozinhar" um filhote cachorrinho de estimação da família num mini-forno de pão de queijo (pronto, confessei publicamente).

4. Mulheres "problemáticas" morenas

Eu tenho uma queda quase insuperável por mulheres ditas "difíceis" com madeixas e/ou tez morenas. Ninfomaníacas, sombrias, blasès, bem vestidas, inteligentes. Por uma dessas violentas ironias do destino, meu relacionamento atual e mais duradouro é com um ser feminino loiro quase que "anti-problemático".

5. Fala que eu te escuto

Talvez uma das minhas principais características pessoais: falar pouco. Em mais um caso de ironia-jumbo, eu me formei em Direito e sou advogado. Uma aberração dentro da classe? De certa forma sim. E já percebi que uma boa parcela do meu plantel de amigos fala pelos cotovelos. Seria algum tipo de compensação? Não sei dizer. Mas em que pese a boca fechada, não sou um animal anti-social no sentido estrito do termo. Pelo contrário. Esses dias estava refletindo sobre a minha sociabilidade dissimulada e de como subestimo essa minha faceta. A frase "cara legal" ronda a minha pessoa com uma certa e boa freqüencia. Eu é que visto meu "coturno espiritual" com um certo exagero.

6. Bocejar, bocejar, bocejar.

Quem convive bastante comigo e se atém a detalhes com certeza já percebeu. Independemente das condições de temperatura, pressão, e estado espiritual, sempre rola. E não tem nada ver com sono ou desinteresse. Como já comprovaram nossos ocupados cientistas judaicos-cristão-ocidentais, é pura oxigenação do cérebro.

6 comentários:

Ånderson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ånderson disse...

chocado: mode on. "Sadismo pré-juvenil com animais domésticos". :/

Rodrigo disse...

Acompanho você na cafeína. Aliás, vou ali tomar unzinho

Sunflower disse...

1,2,3,6 sou igual a você.

Mas a descrição do 4 sou eu.

Só o cinco (por causa do 4) que foi pra escanteio. Sou verborrágica que só eu.

beijas

Garota no hall disse...

O item 5 denota que você daria um bom psicanalista. Olhaí, outro ramo de atividade para acrescentar na megalomania.

Menina Enciclopédia disse...

tadinho do caçolinhooooo! rss