segunda-feira, 4 de maio de 2009

fumaça

Hoje estava lendo o jornal quando me deparei com isso:

Ator terá de ir à Justiça para fumar em cena

Nova lei antifumo proíbe uso de cigarro, cachimbos e charutos em gravações em estúdios fechados e em peças de teatro

(...)

Peças de teatro, gravações de TV e filmagens de cinema em lugares fechados também serão enquadradas pela lei estadual de restrição ao fumo, que será sancionada nos próximos dias pelo governador José Serra.
Para acender um cigarro, charuto ou cachimbo em cena, o produtor precisará de autorização judicial. Terá de argumentar, no pedido ao juiz, que a ausência do tabaco prejudicaria a concepção artística de seu filme, videoclipe, novela ou montagem da peça teatral.

íntegra da notícia: aqui.

Antes de mais nada. Deixemos claro que eu não fumo, acho a nicotina um negócio realmente escroto, mas temos que ter um pouco de bom senso e tomar cuidado pra não embaralhar o culturalmente milenar ato de fumar com o moderno e propositalmente venenoso cigarro.

O artigo 6º inciso I do projeto de lei 577/08 aprovado e que aguarda sanção diz que não, mas no ritmo que a coisa vai logo teremos que banir os eventuais cachimbos recheados de ervas naturais que os índios fumam em suas cerimônias sacras muito mais antigas que a nossa maravilhosa república. Sem falar nos tradicionais narguiles dos simpáticos turcos, dos rituais do candomblé, e por aí vai.

Em vez de querer implantar um império do excesso do politicamente correto e da hipocondria, nosso caro governador José Serra poderia concentrar seus esforços no que realmente causa a matança em massa e o imenso prejuízo ao nosso sistema de saúde: a indústria do cigarro.

O ato de fumar não é sinônimo de consumir Philip Morris. Essa frase deveria ser pregada numa faixa em letras garrafais no gabinete do governador. Assim talvez ele se desse conta de que desestruturar a capitalização em cima do vício e o severo controle (químico mesmo, buscando a moderação da nocividade do tabaco) da produção do cigarro industrializado é o caminho.

Precisamos de saúde, precisamos de respeito ao próximo, mas também precisamos de liberdade individual (mínima), de cultura, e de muito bom senso.

3 comentários:

Garota no hall disse...

OK, odeio cigarros. Mas isso é um exagero.

Cecilia disse...

Sou fumante, e isso é absurdo. Tem vezes que faz completo sentido um cigarro em cena - vide "Excêntricos Tenenbaums".

E pelamordedeus, já não basta meu cigarrinho estar R$ 3,50... :P

Aline-NC disse...

Eu não fumo, mas tenho medo (/Regina Duarte) dessas leis que querem controlar demais a nossa vida. Daqui a pouco vão proibir de comer a gordura da picanha, ficar de porre, comer mais de 1 barra de chocolate por dia...