domingo, 4 de julho de 2010

a donzela é a mesma

O lance agora é arranjar motivos pra máquina de guerra norte-americana continuar o seu giro econômico. O alvo da vez: o Irã. O principal argumento: aqueles maluquetes muçulmanos radicais ameaçam o "mundo livre" com o iminente desenvolvimento e mais do que provável lançamento de uma bomba atômica na cabeça dos vizinhos israelenses (que por sinal, nunca negaram ter a sua própria bombinha pra jogar na cabeça de anti-sionistas mais exaltados, ou quem sabe em cima de barcos de ajuda humanitária mais atrevidos).

De tempos em tempos, eu gosto de me lembrar que essa mesma máquina, quando ela ainda era uma mocinha novilha, foi responsável pelo único lançamento de bombas nucleares na cabeça de seres humanos. Mais precisamente, numa ilha chamada Japão. O ano era 1945. O número de cabeças pulverizadas girou algo em torno de 220 mil (140 mil em Hiroshima e 80 mil em Nagazaki), cálculo por baixo, sem contar as consequentes mortes por sequelas.

Na época a moçoila argumentou que era um "mal necessário" para acabar com a Segunda Guerra Mundial. Mas como diria aquele saudoso advogado de um antigo programa da televisão tupiniquim, há controvérsia.

Agora vem a público que essa mesma donzela, numa época em que ela vivia às turras com certos senhores russos, lançou sobre as nossas cabeças algumas bombinhas de teste pra provocar e amedrontar estes mesmos senhores. Assim, coisa boba, na surdina. Dê uma olhadela (para acessar a reportagem completa e assistir ao vídeo clique em "more on npr.org"):

(Source: NPR Credit: Reporter: Robert Krulwich, Producers: Jessica Goldstein, Maggie Starbard Supervising producers: Vikki Valentine, Alison Richards Production Assistant: Ellen Webber Researcher: Meagen Voss)

É aquela história, os dados são jogados novamente, os tempos são outros, as condicionantes são outras, mas é importante fazer notar que a donzela é a mesma, exatamente a mesma.

2 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

a grande cagada foi criar o Estado de Israel em 1948, vc sabe como e por que fizeram isso, né?

brunavgsouza disse...

Não quero discutir política. haha

Só vim aqui mesmo pra dar um oi e pra dizer que tá na hora da gente sentar e tomar um café, brô :)

Bjs, Bru