sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

2010/2011

 
Pois é, acabou 2010, praticamente o fim da primeira década do século XXI (parece brincadeira). E eu tirei meu blog da sua longa hibernação de quase 6 meses apenas para esta postagem. Uma postagem lacônica, mas significativa.

Este ano que passou talvez tenha sido ao mesmo tempo o pior e o melhor ano da década para este escriba. Puro paradoxo. Depois da faculdade (1999-2003), do "triênio iluminado" (2005-2008), um mergulho sereno na escuridão por dois anos, as coisas parecem que voltam à luminosidade. Aquele estufar de peito com o mais puro e deleitoso ar de otimismo e auto-estima dá sinais de volta. Agora com outras perspectivas, um olhar mais sereno para si mesmo e para os erros e acertos cometidos. Banhado num caldo saboroso de leve maturidade.

Dizem os sábios que nós vivemos de ciclos, de "ondas existênciais". 2011 chega daqui a pouco menos de 5 horas, a maré recuou e está subindo novamente. É hora de preparar as armas, sentir o vento e a maresia, abraçar os amigos e os bons fluidos, e seguir.

Um brinde a todos vocês.

p.s.: essa provavelmente será a última postagem deste blog que aparecerá do jeito como vocês sempre o conheceram, vem aí o Empty Spaces Chronicles 2.0, em uma nova casa, mais interativo, mais animado, e o mais importante, mais atualizado. Tenham fé e paciência, ao contrário do que parece, a alma blogueira deste sujeito não morreu.

2 comentários:

Garota no hall disse...

É, passagem de ano é sempre melancólica. Talvez se não tivesse nenhum ritual comemorativo, fosse melhor.
Um ótimo 2011 para vpc~e ;)

Anônimo disse...

Individualização pensativa neste blog, reflexôes assim demonstram valor a quem quer que reflectir neste espaço !!!
Escreve mair quantidade de este espaço, a todos os teus visitantes.